O Julgamento de Vanessa.

Porque é o que vai acabar acontecendo, certo?

As pessoas têm o costume de nos julgarem sem conhecer de verdade o contexto, sentimentos, inspirações e outras coisas envolvidas.
Além disso, muitas vezes, esquecem de ir além das palavras e tentam entender simplesmente pelo o que está ali.
Esquecem também que eu sei transformar palavras em um drama muito maior do que tudo parece ser.
Tenho o defeito dom de saber usar as palavras, me disseram. Hahaha! =X

Ok, não falei nada com nada, né?! Ahan, ok... Vou parar de enrolar porque ninguém aqui é rocambole ou panqueca. (Vanessa, cale a boca!)

Vou publicar aqui um poema que fiz pra aula de Poética do Desejo. Inspirado na composição dos cantos de “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri, apresento o poema “Minha (Não Tão) Divina Comédia”, em que narro a minha caminhada pelos círculos da vida enquanto perdida num romance de “meia-tigela” – bem diferente de Dante e sua musa, Beatrice.


“MINHA (NÃO TÃO) DIVINA COMÉDIA”
(Meu) Canto Único

Caminhando pela selva de pedra,
vejo-me perdida entre tantos
enquanto o mundo passa depressa.

Faz pouco que descobri quem sou,
as minhas verdades,
mas ainda não sei para onde vou.

Acabo sempre por me questionar
se ainda consigo
um pensamento evitar.

Tão incompreensível e confuso o que sinto;
estas palavras vêm e me atropelam,
me perco no instinto.

Consciência não pára e só me faz pensar.
Tudo que eu vejo e o que quero,
só me levam a errar.

Tão fácil seria se aos outros eu ouvisse:
“Deixe-o ir, será menos doloroso”.
Tão fácil seria se nada disso existisse.

Suas palavras me passam pra trás.
Às vezes, odeio-o,
mas sempre lembro o bem que ele me faz.

Um desejo me consumindo,
girando-me nestes círculos;
É minha alma que vai indo.

Escrever sobre ele de madrugada,
É sem julgar que me permito,
O sono me engana, é a minha comédia sobre o nada.

Menininha tão sábia e forte
encontrou sua alma-gêmea;
alguns diriam que foi sorte.

Agora os pensamentos só incomodam
e eu achei que poderia voar;
destinos tortuosos se chocam.

Tormento para os pobres mortais
são essas vontades que não me deixam,
queria não o querer mais.

Um céu claro, numa noite escura,
uma rua vazia;
não sei se estou à sua procura.

Sem mestres por perto para me guiar,
caminho sozinha e quase sem rumo;
penso nele e tento acreditar.

Ah, as belas mentiras que meu inconsciente criou,
uma batalha contra eu mesma
aqui dentro se instalou.

Poetisa, eu não sou.
Piedade de mim,
por favor, tenha, meu caro leitor.

Aqueles olhos verdes me confundem;
nos tirem daqui, eu e minh’alma,
antes que nos afundem!

Um oceano de sentimentos
me envolve em ondas que me levam pra longe.
Minha vida não pára por um momento.

Minha fé parece ser em vão;
Quanto mais forte eu piso,
menos sinto meus pés no chão.

A música dele me conduz,
é o maestro da minha vida;
no momento, é a minha luz.

O amor é sentimento estranho
cada vez que me aproximo,
Menor o meu ganho.

A minha música não mais o leva além;
É, mais uma vez, sozinha eu fico,
pois o que ele sente é aquém.

Debruçada na grama de mentira que inventei,
penso que só quem ama e também é cego
entenderá o que eu cantei.

Por entre quadrados e esferas,
Tudo o que eu queria, neste momento,
era ele ao meu lado pra ver estrelas.







E, antes de dar tchau, peço que não queiram vir me dar lição de moral após lerem o poema. Não preciso disso. Nem que venham massagear meu ego (apesar de que isso é bom, às vezes).

Ok, revoltei-me. Mas só por hoje. É a febre atacando depois de um fim de semana delicioso.

Beijocas, minhocas.


Nes.

3 Comentários:

by bateriagirl disse...

eu não sou panqueca mas sou um novelinho de lã... hahahaha

é que eu enrolo muito as vezes... ^^

vc me deixou com vontade de rocambole.. malvada!!

quase não li o poema devido ao fato de que não curto muito.. mas como eu tava curiosa depois de ler o "antes de dar tchau" eu li...
gostei, ta bonitinho! ^^
não sei criticar poemas... haha

pudim???

bjos da Lovegood mini

Vanessa disse...

Comentário mega-construtivo o da Bruna.
=p

Carol disse...

Ok... Sem críticas e sem babações. Só pra dizer que: te entendo.

E to aqui sempre...
=*
Loviu

/
 
© 2009 | Nes-CaL - Sem energia e sem gosto | Por *Templates para VOCÊ*