Strike 1!

Meu, viva os cocôzinhos a Páscoa, galera!

Viva também os Sonhos de Valsa que ganhei da minha mãe e viva a paz mundial (tchauzinho e beijinho de Miss).

Sabe, eu acho super leSgal esse blog não ser só de livros e, sim, de cultura em geral. Afinal, somos pessoas muito cultas, né?!
Nossa, tipo, leio até rótulo de shampoo bula de remédio atrás de informações que possam trazer algo de diferente pra minha vida.

Aliás, não sei vocês... Mas eu e a Cagolis assistimos o BBB. E eu descobri há pouco (por um amigo que também tem sempre umas explicações fofas) que a votação funciona da seguinte forma:

4 votos na Internet = 2 mensagens de texto = 1 ligação

Ou seja, tem que votar pacaraio pela Internet pra que faça alguma diferença na porcentagem final.
Ok, prontos pra próxima?!

É, não tem próxima. Tá, té tem (quantos Ts).

Tomem muito cuidado ao irem aos salões de beleza para fazer as unhas dos pés. O risco de você pegar uma coisinha chata nos pés é grandinho, até mesmo em salões confiáveis. Fica a dica.

NEEEEEXT!

A Rach tinha comentado sobre os livros que ela leu. Eu li também os dois e a Cagol leu o "Sheila Levine" também.

Bom, vamos aos fatos:

"Sheila Levine está morta e vivendo em Nova York" por Gail Parent.
Confesso que comprei o livro por causa do nome. Tá, nem tanto. O fato de ter sido o primeiro livro de literatura mulherzinha a ser lançado no mundo também me deixou curiosa. Li o livro quando estava viajando e gostei bastante. É divertido, Sheila não mede palavras em sua carta suicida (sim, ela vai se matar e, não, isso não muda nada a história) e ela é total boca-suja. É um livro rápido de ler e você não pode lê-lo depois de ter lido algo dinâmico demais, pois poderá achar chato. Eu li depois de "Everyone worth knowing", da Lauren Weisberger (aquela que vestiu Prada no diabo*) – que, aliás, eu não gostei – e Sheiloca tomou meu coração. Por isso, recomendo a leitura.

O outro livro é “Remind me again why I need a man”, por Claudia Carroll.
Nome sugestivo, não?! Principalmente se você o lê durante uma crise. Ele virou a minha Bíblia. Conta a história de Amelia Lockwood, que tá louca pra casar.
Ela já passou por poucas e boas na vida e resolve fazer um curso (é, um curso!) pra arranjar um marido. Para isso, ela tem que repensar todos os seus ex-namoros e entrar em contato com cada um de seus exes (?) para descobrir onde foi que ela errou na relação com eles e tentar melhorar pra próxima. Entenderam?
Seguinte, é fácil. Façam isso. Mas nem precisa contatar os exes (?).
E isso é pra vida.
Só sei que o livro abriu a minha cabeça. I still need a man, though. Só não ficarei mais sofrendo por nenhum (espero...).

Bom, eu realmente perdi a linha do meu pensamento agora que a minha net parou, voltou, parou, voltou, parou, voltou, parou e voltou a funcionar.

Vou ver se acho a linha em algum lugar e volto amanhã pra bostar postar sobre algo mais sem LOÇÃO.



Um beijo sabor queijo (muÇarela) pra minha mãe, pro meu pai, pros meus irmãos, pros meus sobrinhos, pra Cagol, pras minhas amigas e chuchuas, pro garoto lindo da minha sala (heh!) e um especial pra vc, Xuxa.

E Feliz Páscoa, again!!!



* “O diabo veste Prada”, por Lauren Weisberger, é um livro super divertido. Achei melhor e mais completo que o filme... Mas o filme é muuuuito bom também.



Ps. O layout novo tá lindo, né?! Viva a minha Li-mão!

1 Comentário:

by bateriagirl disse...

hey girls [apesar de eu so conhecer a Nessa tô fazendo um social basicoo]
hilario os textos!! morri de rir!!!! "aquela que vestiu Prada no diabo"
que que foi isso? ou como diria a Nessa... como assim Bial??
nhaaai espero que vcs escrevam mais e mais para alegrar minhas noites lendo blogs... lembrei que tenho 2 pra ler.... haha
bjoos

/
 
© 2009 | Nes-CaL - Sem energia e sem gosto | Por *Templates para VOCÊ*